SOCO-DRONE

Sistema de Observações Costeiras e Oceânicas baseado em Drones

Com vista a promover o bom estado ambiental das águas marinhas, UAVISION, DEIMOS e HIDROGRÁFICO unem-se num projeto para incrementar a capacidade nacional de monitorização remota do oceano.

Numa iniciativa tão ambiciosa quanto inovadora, serão desenhados e desenvolvidos dois UAVs de asa fixa e elevada endurance, tendo como base a atual plataforma WINGO da UAVISION, que será adaptada à monitorização oceânica. As aeronaves pesarão menos de 40 kg, o que será conseguido à custa de uma grande capacidade de miniaturização dos sensores construídos pela UAVISION.

Após os necessários testes, far-se-á uma demonstração num voo de 500 km de ida e volta até ao banco Gorringe (área marinha protegida localizada 120 milhas náuticas a WSW do Cabo de S. Vicente, recentemente incluída pelo Governo na Lista Nacional de Sítios da Rede Natura 2000). Caberá ao Instituto Hidrográfico desenhar e validar a componente de observação do oceano, assumindo o duplo papel de parceiro e destinatário final.

Os dois UAVs voarão em modo colaborativo e complementar ao longo de 10 horas, recolhendo dados sobre as atividades humanas e o ambiente, transmitindo-os para uma estação em terra, e permitindo a sua disseminação, através da iniciativa NIPIM@R, para entidades selecionadas e público em geral. O projeto irá aumentar a capacidade nacional de monitorização móvel remota do oceano e das águas costeiras, contribuindo assim para promover o Bom Estado Ambiental das águas marinhas e costeiras da Europa, objetivo central da Diretiva Quadro sobre Estratégia Marinha.

O voo dos UAVs será pré-programado, realizando-se de forma autónoma, muito embora haja a possibilidade de, a partir da estação de controlo em terra, se alterarem os respetivos parâmetros. Incluem-se neste caso, não só altitude e rota, mas também os dados a transmitir em tempo real em cada fase do voo. Serão, tanto quanto possível, evitadas as dispendiosas comunicações por satélite, resumindo-as às transmissões de dados dos m-XAUVs e a salvaguarda de falhas dos restantes sistemas.